quarta-feira, 8 de junho de 2011

CARLA

Assim...
Um papo
Um agrado
Não só amasso

Menina, mulher, veneno
Naquele sereno
Me protegeu

Silêncio meu
Na madrugada vazia
Veio uma menina
Fascínio me deu


Talvez não saiba
Assídua em meus sonhos
Também em hormônios
Me convenceu


Não é abusão
Cativa me faz
Nesse meu tormento
Corajosa demais


Aporte candente
Não tenho retórica
Escrevo palavras tortas
Desacerbo primaz


Tramito na agonia
Mas tenho pedagogia
Que a história suspira
Latente jamais


Depressa Carla
Acalma e transforma
O que a história
Já sabe fazer
 
C. Virgínia Gonçalves

Nenhum comentário:

Ocorreu um erro neste gadget